Alfa - A Primeira Ordem, o super projeto das HQS entra em fase final!



O Super Projeto Alfa- A Primeira Ordem entra em sua reta final e você não pode ficar de fora desta grande empreitada das quadrinhos!!!

Álbum que trará equipe de super-heróis nacionais começa dia 15 de fevereiro processo para captar fundos e se tornar realidade.


Máscara Noturna - Um Capítulo a parte na História dos heróis nacionais.


por: Vinicius A Oliveira

A Semente...
Não é segredo nenhum que o gênero super heróis nos quadrinhos sempre teve uma forte e prolixa produção no Brasil, iniciando na década de 50 e 60 em seus primeiros passos ainda calcados na produção norte americana. Ao contrário do que prega erroneamente o gênero brasileiro soube muito bem desenvolver-se e nas últimas décadas modelar seus próprios conceitos, e características próprias amadurecendo como linguagem narrativa e artística, a exemplo de criações como Meia-Lua de Laudo Ferreira, Gaúcho de Julio Shimamoto, Meteoro de Roberto Guedes, Solar de Wellington Srbek, Cometa de Samicler Gonçalves, Quebra Queixo de Marcelo Campos Necronauta de Danilo Beyruth, e também tantos outros exemplos de iniciativas do meio alternativo de igual riqueza narrativa que infelizmente a limitada visão editorial de nosso país não deixa ver a luz do dia.

Tendo esta rápida compreensão do caminhar do gênero e sua evolução, temos o terreno preparado para falar de um título sem precedentes que assustou o Mercado Editorial por diversas de suas características, pelo pioneirismo com que foi editado e distribuído e sobretudo por se tornar parâmetro do momento em que nasceu em diante, estamos falando do Herói (na essência), Anti-Herói pelo rótulo mercadológico e sobretudo Quadrinho Pioneiro Chamado Máscara Noturna, criação dos roteiros e traço de José Salles e Edu Manzano (hoje, Ed Oliver). Quero agradecer a ambos os autores que com muito paciência e humildade me concederam entrevistas para que eu preenchesse as lacunas desta matéria, além do material que eu já havia pesquisado.


       

Para entender um pouco mais o como Máscara Noturna foi moldado neste viés tão anti-comercial e quebrador de paradigmas temos que voltar no tempo um pouco antes da criação da SM Editora, ( depois Júpiter2) editora que José Salles fundou juntamente com Edu Manzano no ano de 2005.
Para entender os parâmetros disso é preciso relembrar que José Salles e Edu Manzano se conheceram por volta do ano 2000 ambos egressos do "Boom" do movimento Underground nos anos 90, Fanzines e Contracultura, ambos ja eram figuras conhecidas e respeitas no meio, Salles então Produtor, Diretor e Ator de Filmes B com sua produtora "Daddy Inc" cujo conteúdo transgressor e estética pesada já eram cultuados no meio, assim como seus livros "Contos Pervertidos para Pessoas Sadias", "Obscuro Cárcere da Solidão", entre outros. Já Edu Manzano foi um dos criadores dos quadrinhos conhecidos como Poético-Filosóficos, publicando seus quadrinhos no brasil e exterior e músico de bandas de Metal da época também é ainda figura respeitada e conhecida na cena.
Duas mentes e personalidades transgressoras, vindas de movimentos contra o "Stabilishment" se encontram inevitavelmente nas ramificações daquele movimento e então Manzano começa a fazer adaptações dos contos de Salles para os Quadrinhos. A parceria deu tão certo que Manzano atuou também em filmes de Salles e a dupla torna-se mais forte.

Salles que sempre foi um fã e pesquisador inveterado de Quadrinhos vinha há tempos com uma idéia de contar suas próprias histórias e no final de 2003 Salles mostra a Manzano os primeiros esboços do que seria um novo personagem para uma série de quadrinhos, um misto de justiceiro e herói, um sujeito que possuía um contraponto de uma vida comum e o fato de carregar uma maldição, e um anti-herói muito violento até para os padrões da época (basta lembrar que nessa época personagens mais violentos como Lobo, Justiceiro e os Thunderbolts estavam em alta, embora isso não tenha sido influência para a criação do Máscara Noturna), Salles pediu a Manzano que desse algumas idéias para fechar os roteiros e criar visualmente o personagem, o nome já estava definido: Máscara Noturna.
Como Manzano achou que a idéia iria circular apenas no circuito alternativo, decidiu fazer uma experimentação, desenhando aquele primeiro arco de 3 histórias em estilos diferentes o que mais tarde virou um diferencial muito bem acatado pelos leitores.
O período entre 2003 a 2005 Edu Manzano trabalhou naquelas 3 primeiras histórias enquanto isso José Salles trabalhava nos bastidores a construção de uma empreitada pioneira, a criação de sua própria editora, já que antevendo os percalços e limitada visão do mercado editorial brasileiro, decidiu que se auto-publicaria; neste meio tempo alguns fanzines receberam e publicaram para o Brasil a primeira história do Máscara Noturna, chamada simplesmente "A Origem" onde Salles e Manzano apresentavam o personagem ao mundo, foi um choque, pela qualidade da história e seu pioneirismo, assim todo o conceito e criação do personagem foi uma obra conjunta dos artistas.

Numa primeira idéia de Estudo, a obscuridade e temática pesada dos roteiros inspirou Manzano a criar este logotipo inicial onde é aletra "T" é mostrada como um crucifixo invertido, idéia posteriormente abandonada.

Num segundo estudo, Manzano resolve dar um toque de cor ao personagem que apesar de ter um aspecto, mais simpático também não foi continuado pela dupla.

Máscara Noturna é o policial Rick Lee. Em uma batida à procura do maior traficante do país chamado Papa Vodu (Um homem misterioso e feiticeiro cruel que conseguiu poder através de pactos de Magia Negra do qual era adepto; criminosos do submundo acreditavam que ele possuía o corpo fechado), Rick alveja o mesmo e antes de morrer o traficante feiticeiro acaba lançando uma terrível maldição sobre o policial. Feitiço esse que condena nosso herói a ter que ceifar uma vida em nome da
deusa Kaia a cada 24 horas, ou ele mesmo morrerá consumido pela maldição.
Se vendo obrigado a tirar uma vida a cada dia, Rick lee resolve por se livrar da escória da sociedade: traficantes, pedófilos, estupradores, etc.
O Visual definitivo, um mar negro impactando as páginas  de quadrinhos!

Com essa premissa original a história e o personagem chamaram a atenção do público e a receptividade motivou ainda mais José Salles a levar o plano da editora a cabo.

Em Abril de 2005 Salles se reúne com Manzano para propor a parceria e fundarem uma editora que funcionaria como um selo para editar, produzir e publicar suas histórias em Quadrinhos, Salles propõe então lançar as 3 primeiras Hqs do Máscara Noturna em uma revista própria, que seria o lançamento inaugural da SM Editora (Salles e Manzano Editora). Durante 3 meses preparam-se para o lançamento, impressão e tralalhando nos alicerces do que seria a SM Editora.

Então em Agosto de 2005 o mundo vê nascer  Máscara Noturna nº 1 e a SM Editora que escreveria linhas importantes nas histórias em quadrinhos do Brasil!
A revista Máscara Noturna nº 1 trazia uma capa simples e de impacto, o então herói com a face escurecida e a boca semi-serrada cuspindo labaredas, uma síntese simbológica da maldição que o personagem carregava!

A revista em formato 15x21 trazia 3 Hqs:
"Origem" (Roteiro: José Salles - Desenhos: Edu Manzano)
Nela vemos o policial Rick Lee acompanhado de sua equipe indo fazer a prisão do perigoso traficante e feiticeiro Papa Vodu, resistindo a prisão este é baleado por Rick que recebe do feiticeiro a Maldição de Kaya, o que o obrigará a tirar a vida de um ser humano a cada 24 horas ou ele mesmo será consumido pelas chamas.
Atormentado pela sina que acaba de receber Rick decide-se por matar Pedófilos, Traficantes e Estupradores utilizando´se de uma meia máscara caseira para preservar sua identidade Civil, Rick passa a caçar suas vítimas pela noite. Por consequência Rick resolve usar este tempo não só para aplacar a maldição mas também para ajudar pessoas o que o torna um Vigilante noturno. Realizada com um traço que inteligentemente remete e faz homenagem à simplicidade de Bruce Timm a história é passada de forma simples, envolvente e teve grande aceitação por parte dos leitores.
"Os Amores de Rick Lee" ( Roteiro: José Salles - Desenhos: Edu Manzano)
Vemos um pouco da vida cotidiana de Rick Lee, dividido entre o amor de Zhang sua namorada  e Rita um Stripper de personalidade forte, as cenas de intimidade e sexo entre o personagem e suas mulheres são mostradas de forma explícita o que obriga os editores a colocarem uma tarja de conteúdo adulto na capa, percebia-se ali que Máscara Noturna tinha vindo como um soco na cara na forma tradicional de se fazer este tipo de quadrinho.
"Um Mundo sem Heróis" (Roteiro e Arte: Edu Manzano)
Com um tom intimista e belíssimos traços, esta História totalmente realizada por Manzano é com certeza uma das mais belas escritas com super heróis nacionais como é uma homenagem ao gênero.
Na delegacia onde trabalha vemos Rick dialogar com o delegado Palhares (caráter introduzido e criado por Manzano para a série), o delegado é além de chefe de Lee, amigo pessoal do falecido pai do policial o que deixa entre os dois uma relação paternal. Rick sai a madrugada mais uma vez para cumprir sua sina quando vê n chão uma antiga revista em quadrinhos um exemplar de o Gato ( personagem criado por Eugenio Colonnese) nisso abre-se um belo preâmbulo onde uma página exibe alguns dos mais importantes super heróis nacionais, uma Hq com um desfecho surpreendente mostrando que mesmo em meio às trevas, alguns conseguem enchergam luz para fazer o bem.


Infelizmente aqui também começou uma cruzada de Salles e Manzano contra alguns grupos em mídias sociais que tentaram em vão transformar o lançamento em chacota e por tratar-se de uma lançamento nacional tentar desacreditá-lo. O resultado foi exatamente o contrário, com tantos comentários no Orkut ( a mídia social em alta na época) e o boca a boca dos leitores fez com que aquela revista lançada de forma independente e livre vende-se nada menos que 3 mil exemplares, obrigando a SM a fazer 6 reimpressões. Até este fato era ridiculamente contestado pro alguns "críticos das hqs nacionais" o que fez com que Salles e Manzano preferissem continuar trabalhando com os bons resultados e não divulgar muito números, o foco era fazer a SM vingar!

Com os resultados otimistas, Salles decidiu transformar a SM Editora em um selo que publicaria exclusivamente Quadrinhos de autores nacionais e ali nasceria uma das editoras mais lançou quadrinhos nacionais em sua existência ( mas isso é história para outra matéria) trabalhando ainda na divulgação do Carro-chefe Máscara Noturna para que divesse uma ampla divulgação, Manzano também assume a posição de Co-Editor auxiliando Salles no aspecto burocrático e de Marketing da SM, o que fez com que o segundo número de Máscara Noturna só visse a luz do dia em Julho de 2006.


A espera compensou, com uma brilhante capa dividida entre o mestre Julio Shimamoto e Edu Manzano trazendo a longa HQ:
"Fim do Segredo" (Roteiro: José Salles - Desenhos: Edu Manzano)
A Vida de Rick Lee se transforma num pesadelo em forma de turbilhão, a pressão de seus entes queridos, a pressão da polícia e o fato de ter que ceifar vidas estão colocando em teste a sanidade do polícia e como se não bastasse sua namorada liga pedindo socorro.
O irmão de uma das vítimas do Máscara Noturna passa a investigar Lee e descobre sua vida pessoal e faz Zhang prisioneira forçando Rick a ir a seu encontro.
Chegando a residência de Zhang, Rick e nocauteado e amarrado pelo criminoso que passa abusar sexualmente de Zhang, sem ter outra alternativa  Rick libera a maldição do Kaya e mata o bandido em frente sua namorada: - O Segredo estava acabado...



A Hq é espetacular e prende o leitor do início ao fim, da série é a mais belamente ilustrada, pelas mão de Manzano.

O terceiro número de Máscara Noturna traria os sempre dinâmicos roteiros de Salles mas com uma surpresa: - Capa pintada pelo veterano mestre Elmano Silva e desenhos internos de outro talento do Underground: Emmanuel Thomaz. Manzano ainda estaria nos bastidores de Máscara Noturna opinando e sugerindo no fechamento dos roteiros já que este era o carro chefe da casa, mas estaria concentrado desenhando mais um título inaugural para a casa SM e que se tornaria um dos mais amados pelos leitores, seu herói Tormenta.


Neste terceiro número temos a HQ fechada "No Limite" :
O Cerco se fecha cada vez mais para Rick Lee e sua rotina diária começa a colidir com o período de 24 hoars para matar um ser vivente que Rick deve cumprir por causa da maldição...
Zhang após descobrir a segredo de Rick pede um tempo e se afasta do policial que procura por Rita mas a encontra com uma antiga namorada que é grosseira e ciumenta. Após uma discussão Rita também coloca Rick para fora de sua vida ao sair para a rua e se aproximar de um beco Rick é confrontado pela namorada de Rita que com ciúme aponta uma arma para matá-lo, sem alternativa mais uma vez a maldição de Kaya é liberada e a mulher é consumida pelo fogo místico.
Rick fica desorientado e percebe que o fogo sai de si independente de sua vontade...
Mais tarde durante uma batida policial e disperso pelos fatos acontecidos Rick esta distraído e receb um golpe de uma bandido que foge deixando-o inconsciente, quando acorda vê que faltam poucos minutos para novamente o prazo de 24 horas se acabe, qual não é sua surpresa quando já se contorcendo de dor um amigo policial aparece em sua frente e o fogo de Kaya é liberado matando o amigo de trabalho de Rick, o cerco se fecha cada vez mais e mais...
Mais um roteiro cheio de ação do início ao fim com a arte de Thomaz pontuada por ser mais orgânica e obscura casa perfeitamente com a história.



Neste período com as revistas especializadas e blogs divulgando o trabalho da SM, o Máscara Noturna ganhava cada vez mais publico, 2007 foi um ano de várias indicações a prêmios para a SM,
Eis que após uma farta divulgação o ano de 2008 vê o 4º número de Máscara Noturna mostrar as caras. Novamente com Roteiros de José Salles e desenhos de Emmanuel Thomaz temos a HQ
"A Escolha de Rick Lee".




Rick caminha atormentado pela cidade, assombrado pela lembrança de suas vítimas ele se questiona se todos os que matou realmente mereciam sua sentença, mas ele decide que sobreviver mesmo carregando essa maldição será sua prioridade máxima.

  

Enquanto isso vemos uma violenta guerra entre gangues de traficantes nos morros e um Senador pedófilo e corrupto que mostrando o mar de lama de sua vida e como lucra com aguerra do tráfico; derepente numa emboscada o Senador e seu principal traficante são encurralados pela polícia numa emboscada armada por Rick Lee, ambos fogem para o matagal e se deparam com o Máscara Noturna, este libera o fogo de Kaya eliminando o Senador e surrando o traficante deixando-o para a polícia.
Fechando a história Zhang reata com Rick, dando ao herói um momento feliz em meio ao turbilhão de violência que se tornou sua vida.

A Novidade desta vez é que os leitores percebem a mudança do selo que antes era SM Editora para Júpiter2, uma homenagem de Salles a seu amigo e mestre Gedeone Malagola um dos maiores quadrinistas brasileiros, a mudança também serviu para demarcar o crescimento da editora e suas atividades lançando importantes títulos dos quadrinhos nacionais, Salles e Manzano trabalhavam duro nos bastidores para promover os quadrinhos nacionais.

Setembro de 2008 e chega às mãos dos leitores Máscara Noturna nº 5.


Nesta edição acompanhando Salles nos roteiros havia a arte do grande Elmano Silva que ilustrou a aventura compelta deste número chamada "Vingança".
Aqui, o Máscara Noturna mata alguns membros de uma gangue que estupravam uma prostituta num beco abandonado, sem perceber um dos membros foge e segue Rick até a casa de sua namorada Zhang, esperando que Rick saia ele e alguns comparsas sequestram Zhang que é levada ao covil dos traficantes e violentada, Rick é forçado por telefone a ir ao encontro dos traficantes levando uma grande quantia em dinheiro, prevenido ele também leva consigo armas.
Após momentos de pânico, negociação e um confronto direto Rick consegue matar os sequestradores incinerando o último e salvando Zhang.

Neste meio tempo, o Máscara Noturna alcançou seu ápice de popularidade as revistas vendiam bem.
No entanto Salles passava por uma momento de transição em sua vida pessoal e viu na mensagem do Máscara Noturna uma contradição com o que estava vivendo e assim os títulos de Júpiter2 escritos pelo mesmo passariam por uma reformulação onde Salles buscava passar sentimentos nobres e bons valores  em suas Hqs sobretudo pelo fato de estar envolvido com os alunos das escolas publicas em sua cidade. Dessa forma Salles resolveria abandonar definitivamente o Máscara Noturna o que aconteceu em seu nº6 onde presenciaríamos o desfecho da saga do Anti-Herói!

Sobre o Fato, Manzano comentou:
"Foi um choque quando Salles chegou até mim e disse que iria encerrar o carro chefe da casa, por que lutamos muito para tornar o personagem conhecido e há muita coisa minha ali também então era como um filho, eu ainda tentei fazê-lo considerar algo do tipo mudar o Status Quo do personagem mas mantê-lo, mas não consegui. Eu não condeno Salles, ele tomou uma decisão consciente, então só pude respeitar apesar de lamentar perdermos um personagem tão querido e que era exemplo, afinal que herói independente no Brasil vendia 3 mil exemplares? O Conforto veio com Tormenta que também era muito querido pelos leitores e um título forte em nosso cast, muita gente não entendia como conseguíamos lançar mais de 200 títulos e 70.000 revistas distribuídas, de autores nacionais e obter aquele número de vendas, provamos que muita coisa que se divulgava por aí sobre quadrinhos nacional não vender eram falsas..."




O último número de Máscara Noturna, trazia os roteiros de Salles e novamente a arte de Emmanuel Thomaz, trazendo a emocionante HQ "Redenção..."
A História começa mostrando o dia a dia de um líder religioso corrupto que ensina aos funcionários de sua igreja a como extorquir mais dinheiro dos fiéis e este ao sair para o estacionamento tarde da noite é queimado pelo Máscara Noturna...
Porém cada vez mais a culpa pelas mortes, ainda que de crápulas como este, toma conta da alma de Rick, o peso da dupla identidade, o risco para seus entes queridos. ecoam duramente em sua alma.
Em outro local num velho cemitério inacreditável acontece, Papa Vodu volta a vida graças aos pactos e magia negra com os quais estava envolvido ao emergir da lama pútrida seu grito corta a noite fria.
Rick visita a casa de Carla, esposa do policial que matou involuntariamente com o fogo de Kaya, ao ver o filhinho do policial Rick fica ainda mais atormentado e culpado, ao sair para as ruas com a desculpa de precisar entrar mais cedo nos serviço Rick começa a ter visões do papa Vodu em meio à multidão e atormentado começa a correr atrás das figuras que aparecem em seu campo de visão.


Rick persegue a aparição de Papa Vodu que o conduz ao cemitério, lá chegando os dois entram em confronto corporal e Rick vê que não se tratava de um espírito mas o próprio papa Vodu encarnou como um zumbi,  o policial tenta usar o fogo de Kaya contra o morto mas em vão, não surte efeito.
Mais forte e incansável Papa Vodu reverte a luta em seu favor e após este derrubar Rick o amarra desmaiado a uma das lápides do cemitério.
Ao ser acordado o terror: Rick vê Zhang, sua amiga Carla (esposa do policial morto por Rick) e seu filhinho, reféns de Papa Vodu. O Morto amarra a bebê em frente a Rick e diz: - "Seu prazo esta se acabando escolha, vai matar a bebê ou morrer no lugar dela?"

O prazo da maldição chega a seus segundos finais e Rick começa a se transmutar gritando pelo ódio e pelo terror em não querer dar cabo da criança e então solta um grito: - "Eu Morreria por Ele!!!" e cuspindo um fogo que havia mudado da cor vermelha para a azul, extermina de vez Com Papa Vodu que vira cinzas, porém o fogo também cobra seu preço em Rick e caído na lápide, olha para a amada Zhang e diz: -"Não se preocupe comigo Zhang, finalmente estou livre!!... e parte.

Máscara Noturna além de excelente história em Quadrinhos foi um marco nas histórias em quadrinhos brasileiras mostrando que é possível fazer vingar um material de conteúdo diferenciado e com independência editorial, Salles e Manzano pela visão e por seus talentos merecem este reconhecimento sempre!















Comissions - A Polêmica sobre a venda de artes originais!

por Vinicius A. Oliveira

É sabido que o universo Nerd de Quadrinhos, Games e afins teve um explosão de popularidade com o advento da internet no início dos 2000 e essa disseminação da informação possibilitou que artistas que produziam estas obras se tornassem mais conhecidos e até estrelas do dia para à noite.
No caso que nos focaremos aqui que são os quadrinhos, o crescimento do interesse do público pelos artistas que produziam seus amados quadrinhos e o mercado de artes originais desses ilustradores foi uma questão de tempo.

Frente a este interesse de leitores e fãs, muitos artistas de 1ª linha das editoras começaram a dedicar parte de seu tempo a produzir artes encomendadas pelos fãs mediante a um pagamento considerável, ou simplesmente colocar e leilões como Ebay suas artes originais para as revistas que trabalharam. Hoje essas obras comercializadas por artistas profissionais são chamadas “Comissions” e tem um grande público de colecionadores.
É claro que este “filão” não passaria despercebido aos olhos de alguns espertinhos e artistas amadores que viram uma forma de distorcer  a coisa e usá-la a seu proveito, hoje infelizmente vemos o Ebay, sites e blog inundados de artes produzidas por amadores com artes muitas vezes muito mal desenhadas e em sua maioria “copiadas” de artes originais de outros artistas sendo vendidas sob a alcunha de "Comissions".

É claro que o colecionador mais atento e esclarecido não irá cair facilmente nessa cilada, mas já há dezenas de casos de denúncias nos sites de compras de obras xerocadas, copiadas e de procedência duvidosa em toda a internet.
Para um primeiro esclarecimento o dono e comerciante de artes originais Andrew Donney, responsável pelo site KochComicArt esclarece:

- “Para começar toda “Comission” é obrigatoriamente uma arte realizada por uma artista profissional que tenha publicado em editoras e canais de grande demanda e conhecido do público, essa diferença é importante porque no caso das Comissions o fato de o cliente ter algo “físico” do artista que ele tanto gosta é mais importante até que a arte realizada em si e é em suma, a finalidade da Comission!
Sendo dessa forma, não há razão de ser de alguém que não tenha publicado algo e não seja conhecido chame sua arte de “Comission” , ela pode receber qualquer outro nome menos de “Comission” como é usada nos termos de mercado que conhecemos,
Os Amadores utilizam o termo para tentar em vão acrescentar “importância” ou "valor" ao seu trabalho, o que além de errado é em certa forma uma falta de ética profissional, pois certa parcela do público que está se iniciando a colecionar artes originais, pode ser ludibriado achando estar comprando arte de um profissional.” 

Perguntado sobre a comercialização livre de artes de amadores em sites como Ebay, Andrew ainda cita:
- “A venda de artes feitas à mão é livre, isso é um direito das pessoas, mas o que não se pode permitir é que a maioria delas ponha a venda artes copiadas ou mal feitas e muitas vezes a preços ínfimos ao público, e sobretudo usando o termo de “Comission” , isso é uma falta de respeito ao trabalho de profissionais que levaram anos construindo uma carreira”.

Portanto aos colecionadores salienta-se a importância de ficarem atentos ao adquirirem artes originais sobretudo verificando se o artista em si é alguém do ramo e é conhecido e a procedência do local que esta vendendo estes itens, e aos artistas iniciantes observarem outros modos de oferecerem suas artes e sobretudo serem honestos, lembrando-se que uma vez “queimado” seu nome no mercado, jamais se recupera a confiabilidade... 

Rascunho Studio inaugura curso de curso de Introdução à Concept Art!


A Escola de Artes Rascunho Studio está com novidades para este início de ano, o curso de Introdução à Concept Art, muito procurado e requisitado aos profissionais e artistas de ilustração hoje em dia que queiram entrar atualizados no mercado de trabalho!



VOCÊ já se imaginou criando cenários e personagens para vídeo games, animações, filmes?
Então, esta pode ser a sua oportunidade de aprender as técnicas fundamentais sobre CONCEPT ART e aprimorar o seu conhecimento nesta área de grande ascensão no mercado digital!

Sobre o Curso:

O QUE VOU APRENDER?
Durante o curso, o aluno será introduzido a um workflow específico para Concept Art, através de técnicas de estratégia, planejamento, referenciação, blocagem e finalização de concepts impactantes.

Além de técnicas, o curso fornecerá ao aluno a mentalidade necessária para criar artes conceituais e ilustrações finalizadas.

Ao final do curso, o aluno terá produzido no mínimo três peças para seu próprio portfólio de Concept Art.

QUAIS OS PRÉ-REQUISITOS?
Muita disciplina por parte do aluno, participação e vontade de aprender.

O aluno terá exercícios em sala de aula e atividades para casa. Aconselha-se ao aluno reservar ao menos 4 horas semanais para realização dos exercícios.

PORTFÓLIO DO PROFESSOR:

https://www.artstation.com/artist/walter


CONTEÚDO DETALHADO:
1. Revisão Photoshop: Brushes, Máscaras e Trabalho não-destrutivo.
2. Preparação: Identificando o Problema
2.a) Mindset
2.b) Brainstorm
2.c) Planejamento Estratégico da Imagem
2.d) Storytelling
3. Composição: Buscando Soluções
3.a) Ponto Focal
3.b) Guiando o Olhar
3.c) Simplificação a Linguagem das Formas
3.d) Controle de Detalhes em Composição
4. Referenciação: Polindo seu Arsenal
4.a) Referenciação e Mockups
4.b) Referenciando a Realidade
4.c) Referenciando outros Estilos
4.d) Controle de Detalhes em Referências
5. Blocagem: O Primeiro Ataque
5.a) Blocagem fotográfica de elementos
5.b) Background / Middleground / Foreground
5.c) Simplificação das Formas Pós-Blocagem
5.d) Controle de Detalhes durante a Blocagem
6. Detalhamento e Finalização:
6.a) Detalhes finais em Iluminação
6.b) Detalhes finais em Cor
6.c) Névoa e Atmosfera
6.d) Câmera e Lente
6.e) Detalhes Finais

INÍCIO:

07 DE MARÇO DE 2017
Dia: Terça
Horário: 19h às 21h
Cargo horária: 32 horas,sendo 2hrs por semana.
Duração: 4 meses.

Maiores informações:
Rascunho Studio | Escola de Artes Visuais
Centro Empresarial Epitácio Pessoa
Av. Pres. Epitácio Pessoa, 1251 - Andar L3 - Sala 206
Bairro dos Estados - João Pessoa - PB
Fone: (83) 3021-2198/ 98833-3791
Contact: rascunhostudio@gmail.com

Entrevista com o mestre do Lápis de Cor, Mario Freire!





O Portal dos Quadrinhos foi conversar com o mestre Mario Freire, sem dúvida o maior nome desta arte atualmente em nosso país. Freire há tempos vêm chamando a atenção nas mídias sociais com suas artes complexas, majestosas e de uma beleza ímpar e nesta entrevista exclusiva nôs fala um pouco de sua técnica, dos segredos desta impactante arte e do mundos das artes! Confira AQUI!